This site uses cookies. By using this site, you consent to this use and you agree with the Privacy Policy and with the Cookie Policy.
School of Magic
Login to the School of Magic
or
Register and become a wizard
MENU
Entrance > Main hall > Hall > Library > Students' Texts



Bestiário Mágico- Beth (II) A A A A

Capítulo II:
Criadores e Criaturas.

Larvas Astrais:
São as pragas da comunidade mágica. Na maioria das vezes tratam-se mais de uma inconveniência do que uma ameaça. Larvas Astrais são geradas a partir do acúmulo de energia negativa ou estagnada em um ambiente. Quando a quantidade desse tipo de energia é suficientemente grande ela pode se condensar e acabar adquirindo forma e consciência e então, de repente, temos uma desagradável Larva Astral. Elas são seres parasitários que roubam a força vital de outras criaturas para darem continuidade a sua existência. As Larvas Astrais também se alimentam do tipo de energia que as gerou, o que é especialmente saboroso e nutritivo para elas. A sua presença em um lugar é um enorme aborrecimento: as pessoas nas proximidades de sua habitação vão sentir-se exauridas devido ao fato de sua força vital estar sendo sugada e a energia negativa que emana de uma Larva causa um considerável desconforto; procedimentos mágicos também serão prejudicados. Entretanto, não costumam causar maiores problemas e podem ser facilmente destruídas ou banidas e no caso de não haver energia da qual possam se alimentar, elas simplesmente definham e desaparecem. Mas não se deixe enganar, Larvas Astrais se desenvolvem e se multiplicam a medida que se alimentam, tornando-se cada vez mais complexas. Se nenhuma providência efetiva for tomada elas passarão de uma mera inconveniência para uma ameaça séria, criando enormes buracos na aura das vítimas de seu parasitismo. Se suficientemente abastecidas Larvas Astrais podem evoluir para uma entidade independente e inteligente com personalidade própria e magia poderosa. Nesse caso elas tornam-se enormemente mais perigosas. Larvas Astrais podem ter qualquer forma, mas costumam ter um aspecto monstruoso. Muitas casas ditas serem assombradas por fantasmas são, na verdade, moradas de Larvas Astrais bem desenvolvidas. É comum serem gerados a partir de emoções humanas negativas.

Servidores:
Servidores são criaturas mágicas criadas artificialmente por um feiticeiro para auxiliá-lo em algum procedimento mágico. Geralmente um servidor é gerado para desempenhar tarefas de alto grau de complexidade que não seriam concluídas efetivamente através do uso de um feitiço ou objeto mágico. Servidores também são convocados para ocupar a função de feiticeiro ajudante. O feiticeiro o alimenta com energia vital e deve estar atento a seu bem estar e outras necessidades ou o Servidor pode rebelar-se. Servidores que desempenham tarefas simples possuem um aspecto robótico e desvanecem após a conclusão de seu trabalho; Servidores mais complexos possuem personalidades e vontades únicas e geralmente permanecem mesmo depois que o seu trabalho é concluído e podem desempenhar várias tarefas distintas. Se um Servidor permanece muito tempo ao lado de seu mestre eles se tornam conectados de tal forma que um não pode viver sem o outro e o Servidor torna-se um Espírito Familiar. Servidores também são conhecidos como Elementares (não confundir com Elemental) ou Tulpa. Golens são Servidores com uma componente física. O Servidor coexiste com seu senhor através de um contrato mágico: ele serve o feiticeiro que os criou enquanto o feiticeiro deve tratá-lo bem, alimentá-lo e cuidar de seu bem estar. Servidores podem ter qualquer aparência e qualquer tipo de poder.

Egrégora:
Egrégoras são entidades poderosas que personificam um grupo. Essa entidade zela e protege os interesses do grupo e seus membros. Seu poder é maior que a soma das partes constituintes do grupo. O poder de uma Egrégora está relacionado com a disposição geral do grupo que representa. Elas podem ter qualquer aparência e são criadas pela energia combinada dos membros, energia essa que também as alimenta.

WITCH23      

This article was read 91 times



Articles published by the students    Library